Algo Perdido

Talvez, por minha culpa e algumas coisas entre nós terem ficado mal viradas, não sei por onde começar, mas preciso, seja começo, meio ou fim, descobrir onde está o que um dia perdi.

Lembro-me de ter dito a você que a maior distância entre duas pessoas é o silêncio. Lamento e me arrependo de alguns erros graves que cometi e me afastaram de você e da sua família. Lembro-me da vergonha que senti, e ainda a sinto, por cometê-los e estar vivendo ainda a (in)consequência deles. Lembro-me também de ter prometido a você estar próximo, de alguma forma, e não me esqueço de não o ter conseguido fazer. Sempre havia sido forte para encarar as vicissitudes que todos enfrentamos, mas não consegui estar nem mesmo em mim quando algumas coisas aconteceram, tiraram o meu chão. Ainda assim, deveria estar perto de quem tão bem me quis e o fez a mim, e não consegui.

Lembro-me de ter dito a você que a distância que afasta é a mesma que aproxima. Quando consegui reencontrá-la, o tempo já havia feito perder as mãos e os pés, o jeito. O jeito de escrever e caminhar nos seus olhos. Vaso quebrado e leito de rio… Recomenda a prudência não tocar no que foi quebrado, para não o partir de uma vez por todas. Recomenda a prudência deixar a poeira cair em leito de rio, para que não fique turvo onde a corrente precisa ser clara. Nunca pensei que por um tempo não saberia o que dizer a você, como e quando. Nunca pensei sentir quem foi tão perto estar tão longe dos meus olhos.

Lembro-me de ter dito a você que o tempo tanto cura quanto envenena. Algumas coisas aconteceram, outras não. Perdi tantas coisas e pessoas quê, para explicar o porquê, precisaria de uma agulha, para costurar desculpas esfarrapadas, porque as justificativas se perderam no fio da meada. As ausências ensinaram a mim que o ser humano sofre porque espera, espera de esperar e esperança, porém não acredito quê, algum dia, aprenda a lição. O tempo não é capaz de ensinar a mim o que não sei deixar de sentir. E agora, que vejo você tão perto outra vez, ainda tenho receio de que uma mensagem se transforme num mal-entendido, não sei o que fazer para que as minhas palavras possam tocar o seu coração.

Gostaria de não ter um jeito tão complicado de dizer algumas coisas tão simples. Sei que o momento não é bom para você e ele também não o é para mim. A minha tormenta ainda não terminou e continua a me castigar. Não sei qual poderia ser o melhor momento para lhe pedir algo de que não me lembro se um dia pedi a uma mulher, mas espero que não seja tarde demais. Lamento que o meu egoísmo, a minha vaidade cardíaca, o meu mau jeito para (des)fazer algumas coisas e dizer outras, o meu silêncio, a minha distância e o meu tempo tenham destruído, acredito eu, a mais bela afeição com a qual poderia sonhar e que jamais poderia merecê-la. Espero que não seja tarde demais para descobrir onde está o que um dia perdi, a nossa amizade. Espero que você me perdoe por tudo o que de errado fiz. Se você soubesse o quanto a admiro…

Sei que somos prescindíveis um ao outro, que nossos cotidianos não se encontram mais, que nossos caminhos vão para lugares diferentes, mas gostaria de ler o seu sorriso outra vez, e não sei se você o permitiria. Gostaria de poder ter dito a você, nos seus olhos, o que escrevi. Espero não estar sendo indelicado, inoportuno e inconveniente, pois não encontrei outro meio além deste. E ainda que a vontade do coração possa se transformar no desgosto da razão, prefiro correr riscos a ser corrido por eles e não quero deixar para amanhã o que deveria ter sido feito há tanto. Quanto mais for amanhã, mais ontem acredito que um laço fraterno possa se afastar de mim, transformando a ausência do seu sorriso num nó cego no meu peito. E ainda que não possamos conversar tantas vezes e por tanto tempo quanto um dia pudemos, gostaria de que um dedo de prosa seu pudesse trazer paz ao pé de guerra do meu coração. Ainda há muitas coisas, em mim e ao meu redor, para serem reconstruídas. Não será fácil estar em lugares estranhos, onde jamais imaginei, mas poder reconstruir algumas amizades seria mais que um desejo, um sonho.

Se você não puder ou quiser conversar comigo onde, um dia, sempre nos encontramos, fazer o quê? Fui até onde poderia ter ido. Fui além da vontade de dizer o que está no meu coração. Se puder ou quiser dar o próximo passo, ficarei perdido de tanto me achar…

 

Paz e um carinho sem nome, ????? ??? ????????.

Anúncios

10 comentários sobre “Algo Perdido

Grato por seu comentário.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s